14.1.10

White Death


Este post vai ser chato e sem piada, por isso ficam já avisados.
Como resultado das constantes leituras das sábias palavras do nosso amigo Pulha vou dando por mim a identificar diversas espécies de sacanas, uns melhores, outros piores, mas quase todos são admiráveis. Vou recolhendo pedacinhos de cada um e apurando a minha própria sacanice, embora não almeje sequer aproximar-me dos calcanhares do nosso caríssimo Rambo aka Pulha :)
O ultimate bastard com o qual travei conhecimento respondia pelo nome de Simo Hayha.
O bom do Simo nasceu na Finlândia em 1905, era fazendeiro, agricultor, caçador e por aí fora.
Em 1925 foi á tropa e lá voltou feliz e contente para casa. Em 1939 os Soviéticos queriam asneirar e resolveram entrar na Finlândia. O bom do Simo não achou isso engraçado, lá voltou á tropa, pegou na sua arma, alguma comida, vestiu-se com o seu camuflado branco, que lhe veio a valer a alcunha de "morte branca" e escondeu-se, ao bom estilo sniper, á espera dos soviéticos.
Usou diversas táticas, não usou miras telescópicas e para resumir muito rapidamente, em 10 dias matou 500 invasores soviéticos, mais uns 200 e tal nas semanas seguintes.
Fizeram de tudo para encontrá-lo, chegou a ser atingido por um tiro no maxilar, mas tratou da saúde a todas as equipas que foram no seu encalço, veio a falecer, de velhice, em 2002.
Resolveu esperar pelos problemas em vez de ir a correr ter com eles...foi a lição que retirei.

3 comments:

Pulha Garcia said...

Muito profundo. Gostei da história e do facto de ter morrido na velhice. Um sacana devia ter direito a morrer assim.

Although I guess trues Rambos never die ...

Mateus Luciano said...

Achei cruel e sordido ... como eu faria....

Mateus Luciano said...

I am human i need beloved!!!!!